radio nova kanaan

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

NABAL - ABIGAIL - DAVI

NABAL E ABIGAIL - SAUL É POUPADO OUTRA VEZ I SAMUEL 25:1 a 27:7 Davi e os seus homens desceram para o deserto de Parã. Fica ao nordeste da península do Sinai, ao sudoeste da terra de Canaã.
Nabal (insensato), fazendeiro abastado, morava em Maom e tinha terras em Carmelo: esta era uma localidade um quilômetro e meio ao norte de Maom, não o monte Carmelo que fica bem mais para o norte. Ele era um homem de mau caráter, duro e maligno em todo o seu trato, alcoólatra.
Sua esposa Abigail, por sua vez, era sensata e formosa, e temente a Deus.
Duas personalidades opostas. Davi e seus homens tinham sido bons para os pastores de Nabal, quando apascentavam os rebanhos no campo entre eles, dando-lhes proteção de dia e de noite. Sabendo que Nabal havia vindo até Carmelo para a tosquia, Davi mandou dez dos seus homens até lá para pedir-lhe mantimento. Davi e seus homens haviam protegido os rebanhos e a propriedade de Nabal em troca de provisões, e o dia do pagamento havia chegado. Mas Nabal insultou Davi e os seus companheiros, fingindo não conhecê-los, e recusou dar-lhes qualquer coisa.
Quando os mensageiros voltaram e contaram isto a Davi, ele ficou indignado. Imediatamente tomou consigo quatrocentos homens armados e se dirigiu para o Carmelo, resolvido a matar Nabal e todos os seus homens.
Um dos moços de Nabal, sabedor do que estava acontecendo, correu para contar tudo para Abigail, a fim de que ela tomasse as necessárias providências, uma vez que ninguém podia falar com seu marido.
Abigail imediatamente preparou provisões generosas e foi encontrar Davi e os seus homens quando passavam perto de onde ela morava, a caminho de Carmelo. Com muita humildade ela se prostrou com o rosto em terra diante de Davi, lançou-se aos seus pés e pediu que não se importasse com Nabal, que era louco, nem se vingasse com as suas próprias mãos pelo insulto que havia sofrido dele.
Ela assumia toda a responsabilidade, e lhe trouxe o presente para ser distribuído aos moços de Davi. Pediu perdão pela transgressão dela (tomando para si a culpa do marido), para que ele não carregasse um peso em sua consciência quando chegasse ao trono de Israel, por ter se vingado com suas próprias mãos.
No versículo 29 a figura de linguagem é extraída do costume de se amarrarem objetos valiosos num feixe para protegê-los de algum dano. Deus cuida dos Seus como um homem dos seus tesouros. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nos foi dado beber de um só Espírito (1 Coríntios 12:13). Todos os que cremos fazemos parte de um só corpo - o de Cristo - pela fé. Estamos em Cristo e não há condenação para os que estão em Cristo. Fazemos parte deste "feixe" com o Senhor Jesus Cristo.
Diante daquelas amplas provisões, e da humildade e sábias ponderações de Abigail, Davi caiu em si e reconheceu que o SENHOR é que a havia enviado ao seu encontro, impedindo que ele derramasse sangue. Ele recebeu o que ela havia trazido e atendeu à sua petição, mandando-a de volta para casa em paz. Como Davi, devemos estar sempre prontos a ouvir conselhos sábios e ter o controle próprio para corrigir ainda em tempo os impulsos que nos levam a praticar o mal.
Enquanto isso, Nabal havia voltado para casa onde ele fez um banquete, como banquete de rei: o que contrasta fortemente com sua recusa de víveres para Davi e seus homens, que haviam contribuído para a preservação dos seus bens. E embriagou-se.
Quando na manhã seguinte Nabal soube o que Abigail havia feito, ele aparentemente ficou paralisado por causa de um ataque cardíaco ou um derrame, morrendo dez dias depois, ferido pelo SENHOR.
Davi louvou ao SENHOR por ter impedido que ele tomasse a vingança em suas próprias mãos e por ter executado Nabal pela ofensa que lhe fora feita. Recebeu ainda um grande presente: informou Abigail que desejava tomá-la como mulher e ela consentiu. Sem dúvida ele não só apreciou a sua formosura, mas também o seu caráter e fé no SENHOR.
Infelizmente, Davi foi além e tomou outra mulher para si, chamada Ainoã. A poligamia é oposta ao ideal divino para o casamento (Gênesis 2:24), mas não era proibida na lei de Moisés, sendo a bigamia até admitida (Deut. 21:15-17). Freqüentemente resultava em muita dor e sofrimento, tendo Davi experiência disso mais tarde. 0 seu primeiro casamento, com Mical, a filha de Saul, havia sido desfeito pois o rei a deu como esposa para outro homem.
Novamente os zifeus foram até Saul para informá-lo onde Davi se encontrava. Esquecendo seu juramento anterior, Saul reuniu três mil homens escolhidos de Israel e foi buscá-lo.
Davi ficou no deserto. Ele era um bom guerreiro, conhecia bem o território, e contava com soldados leais dispostos a morrer com ele ou por ele. Saul não conhecia o território, e não tinha motivos para confiar na lealdade dos seus soldados. Davi mandou espias para verificar se de fato Saul tinha vindo atrás dele - parecia incrível! Davi era tão senhor da situação que pôde ir pessoalmente ao lugar onde Saul havia se acampado e ver onde Saul e o comandante do seu exército estavam deitados.
Davi voltou outra vez, de noite, com seu sobrinho Abisai, e foi até onde eles estavam dormindo. Abisai disse que Deus havia entregue Saul nas mãos de Davi, e que ele, Abisai, poderia matá-lo ali mesmo em um instante com um só golpe de lança.
Era outra prova para Davi: podia agora eliminar aquele que desejava a sua morte. Mas Davi decidiu deixá-lo vivo para que ele morresse, ou por ação direta do SENHOR, ou por morte natural, ou em batalha. Ele conhecia Aquele que disse: "A mim pertence a vingança, a retribuição, a seu tempo…" (Deuteronômio 32:35).
Antes ele estava disposto a matar Nabal e todos os seus homens. Agora recusava eliminar seu inimigo mais ferrenho. A diferença era que este havia sido colocado em sua posição de autoridade por Deus, e Davi se submetia a ele mesmo com risco da própria vida.
Abisai acatou a decisão de Davi e voltou com ele para o seu esconderijo, levando apenas a lança e a bilha d'água da cabeceira de Saul. Ninguém percebeu que tinham estado ali porque um profundo sono veio sobre todos eles da parte do SENHOR.
Desta vez Davi se pôs no cume do monte com uma boa distância entre ele e o exército de Saul, e de lá bradou de forma que todos ouvissem, chamando Abner, o comandante do exército de Saul Despertando do sono, Abner não entendeu a princípio o que estava acontecendo. Davi, sem se identificar, repreendeu-o por não ter mantido vigilância, permitindo que alguém chegasse até Saul: era uma falta grave, digna da pena de morte. E lhe mostrou a lança e a bilha d'água que havia levado. Abner ficou desmoralizado.
Saul percebeu que a voz era de Davi e falou com ele. Davi indagou por que Saul o estava perseguindo: se fosse a vontade de Deus, Davi ofereceria um sacrifício expiatório a Ele; se fossem outros homens, eles seriam malditos porque o estavam afastando da sua terra como que obrigando-o a servir a outros deuses.
Saul reconheceu o seu pecado e loucura e pediu que Davi voltasse. Mas Davi apenas disse que queria que a sua vida fosse tão preciosa diante do SENHOR quanto a vida de Saul tinha sido para ele.
Saul o abençoou e cada um seguiu o seu caminho. Não se encontraram mais.

.....COLOCAÇAO DA MENSAGEM .....

Ao longo dos anos, este espírito vem agindo dentro das igrejas, se manifestando com enorme ingratidão e maldade através de vidas de crentes que possuem as características de um homem de I Samuel 25, chamado Nabal.O significado do seu nome é “Louco” e a loucura estava com ele, ou seja, Nabal era um homem totalmente influenciado e guiado pela loucura, ou um espírito de loucura.Este espírito de loucura, ou seja, espírito de Nabal tem intensificado suas ações usando crentes que têm se comportado loucamente, quebrando princípios, quebrando alianças, quebrando a ética, agindo egocentricamente e ferindo aqueles que possuem um censo de compromisso com a verdade da Palavra de Deus.Primeira situação: O espírito de Nabal é inflexível e maligno nas suas ações: 1 Sm 25: 3 “E era o nome deste homem Nabal, e o nome de sua mulher Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa; porém o homem era duro, e maligno nas suas obras, e era da casa de Calebe”. É duro na palavra e duro no trato com as pessoas, suas ações são malignas e seu coração é mal.Quantas vezes nos deparamos com discípulos com estas características negativas! Quantos crentes têm agido com maldade com seus pastores? Quantos crentes têm sido duros com seus discipuladores? Quantos têm deixado este espírito controlar seus temperamentos?Segunda situação: O espírito de Nabal é egoísta e auto-suficiente: 1 Sm 25: 10 e 11 “E Nabal respondeu aos criados de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos servos há hoje, que fogem ao seu senhor. Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas rezes que degolei para os tosquiadores, e o daria a homens que não sei donde vêm?”Atitudes soberbas de quem não coloca o Reino de Deus em primeiro lugar, que só pensam em si mesmos e em coisas materiais podem ser indícios de quem pode estar sendo influenciado pelo espírito de Nabal. É loucura... crentes que não reconhecem os feitos dos outros e que possuem séria dificuldade para perdoar e pedir perdão.Somente o que fazem é certo, bom, correto, melhor, interessante. Isso é Nabal, isso é loucura.Terceira situação: O Espírito de Nabal não respeita as autoridades: 1 Sm 25: 14 “Porém, um dentre os moços o anunciou a Abigail, mulher de Nabal, dizendo: Eis que Davi enviou mensageiros desde o deserto a saudar o nosso amo; porém ele os destratou”.Geralmente crentes com influências do espírito de Nabal, além de não respeitar autoridades, são pessoas sem educação, estúpidas, arrogantes, insubmissas. Agarram-se nas frases: “Falo isso porque sou franco”. Coisa nenhuma! Isso não é franqueza, mas é falta de educação, é demonstração de um caráter que não se deixa discipular; mente doentia e desprovida da palavra de Deus.Quarta situação: O espírito de Nabal é ingrato e intratável: 1 Sm 25: 16 e 17 “De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles apascentando as ovelhas. Considera, pois, agora, e vês o que hás de fazer, porque o mal já está de todo determinado contra o nosso amo e contra toda a sua casa, e ele é um homem vil, que não quem lhe possa falar”.É ingrato porque se esquece muito fácil das alianças e da cobertura. É ingrato porque cospe no prato que comeu. É ingrato porque é prepotente. Não reconhece o livramento de Deus. Não reconhece as orações de seus discipuladores e nem o socorro na hora da angústia.É intratável porque é surdo espiritualmente. Vive mais na espera da razão do que da fé. Possui dificuldade para ouvir a verdade, mas busca para si doutores conforme a sua concupiscência. Fala muito e não faz nada para Deus.Quinta situação: O Espírito de Nabal paga o bem com o mal: 1 Sm 25: 21 “E disse Davi: Na verdade que em vão tenho guardado tudo quanto este tem no deserto, e nada lhe faltou de tudo o que tem, ele me pagou mal por bem”.Costuma retribuir o que há em seu coração. Não agradece o que os outros lhe fazem e é injusto nos seus julgamentos.Sexta situação: O espírito de Nabal é espírito de loucura: 1 Sm 25: 25 “Meu senhor, agora não faças a este homem vil, a saber, Nabal, impressão no seu coração, porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele, e eu, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste”.É louco por natureza, como o próprio nome (Nabal). Não tem disposição para mudar. Seu caráter é alicerçado na loucura. Prefere ficar do lado do erro somente para afrontar aqueles que vivem na verdade. São os famosos “Roben Hood”, pois costumam defender aqueles que não querem mudanças e nem compromisso com a santidade.Sétima situação: O espírito de Nabal é um espírito de coração maldoso e um espírito de afronta: 1 Sm 25: 36 “E vindo Abigail a Nabal, eis que tinha em sua casa um banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre nele, e ele já muito embriagado, pelo que ela não lhe deu a entender coisa alguma, pequena nem grande, até à luz da manhã”.As atitudes deste espírito e daqueles que são influenciados por ele são atitudes satãnicas, de vingança ou de coração mal. É lamentável dizer, mas há muitos crentes que possuem um caráter mau, cujas ações são verdadeiramente diabólicas. Ficam na expectativa de vingar-se do seu próprio irmão em Cristo, quando houver a primeira chance.Suas loucuras, muitas vezes são afrontas com o objetivo de destruir o justo. Lançam setas venenosas de críticas e ódio. É loucura...Oitava situação: O espírito de Nabal é um espírito destinado a juízo de morte: 1 Sm 25: 37 “Sucedeu, pois, que pela manhã estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu o seu coração, e ficou ele como pedra. E aconteceu que, passados quase dez dias, feriu o Senhor a Nabal, e este morreu”.É bom salientar que os que possuem espírito de Nabal já estão destinados a juízo de morte, se não se arrependerem de suas loucuras. O Senhor não deixará impunes aqueles que afrontam o justo, nem aqueles que são ingratos e quebradores de alianças. O que não respeita autoridades possui o princípio de satanás. O próprio Deus se encarregará do juízo.Da mesma forma como Deus falou a Davi e puniu severamente a Nabal, Ele fará nos dias de hoje. “A melhor coisa que podemos fazer é permanecer firmes nos princípios da Palavra de Deus”.

Um comentário:

  1. A paz, gostei mto do site realmente é benção e gostaria de pedir uma ajudinha, eu tenho um grupo de evangelizmo q ja esta expandido em todas regioes do pais.... se for possivel posta uma noticia com nosso video no seu site pra me ajudar, o modelo da noticia eo video tao no meu blog acessa ae e posta aki pra me ajudar por favor temos evangelizados varios jovens e lançamos este video q mostra alguns de nossos treinos apenas pra mostrar q existem evangelicos q praticam esportes radicais e nao sao caretas e no nome de Jesus seremos referência no esporte parkour, acessa a noticia:
    http://portalemcristo.blogspot.com/2009/10/gospel-parkour-evangelizando-pelo.html

    ResponderExcluir